Arquivo | Álbuns RSS feed for this section

Maria Cecília nasceu!

22 jun

E com ela nasceu este livro de assinatura cheio de  bonequinhas russas! Camila, a mãe, teve a gravidez dos sonhos. Não passou mal. Não reclamou. Não inchou. Não ficou espinhuda. Não ficou manchada. Não ficou gorda. Era só barriga! Linda, leve e iluminada, toda cheia de graça! E para combinar com o quartinho da Maria, encomendou este modelo 2 em 1, que serve como livro de assinatura e álbum. Ficou um arraso! Quase desisti de entregar para ficar paquerando essa lindeza!! 🙂

Anúncios

Álbum de casamento P&B

18 maio

Desde que comprei este tecido preto floral eu imaginava o álbum lindo de casamento que poderia virar! E foi feita a minha vontade. Virou o álbum de casamento de uma grande amiga minha! Eu não tinha razão em acreditar que esta mistura daria samba?

Lina: a amiga prendada

16 maio

Lina é uma amiga de longa data! Estudou em escola Waldorf a vida toda e veio ao meu encontro no colegial, quando resolveu mudar um pouco de ares. E para minha alegria, foi minha maior companheira nestes três deliciosos anos de experiência, primeiras vezes e descobertas. Juntas fizemos os trabalhos da escola, viajamos, fizemos cursinho, namoramos, dormimos uma na casa da outra, choramos, vibramos, vivemos… Mesmo com a vida corrida, e vendo ela menos do que eu gostaria, vira e mexe a gente se (re) encontra. E ela virou uma das minhas maiores fãs e incentivadoras da Maria Caderneta! Sempre com boas dicas e ótimas soluções, ela faz com que eu acredite diariamente que fiz a escolha certa. E como uma boa estudante de escola Waldorf, ela tem o maior jeito nas artes manuais. E, com poucas aulinhas nas oficinas informais da MC, fez lindos presentes para a irmã Fábia, qua há meses ganhou sua primeira filha. Já posso contratar, não é? Os álbuns ficaram maravilhosos!!!

Lina com a mão na massa

Lina e seus filhotes

Álbum panorâmico com patchwork

Álbum panorâmico floral

Álbum de casamento

10 maio

Este álbum foi um presente da MC para o filho de uma amiga que se casou! Na época do meu casório, esta amiga, que na verdade é amiga da mama – mas que já peguei pra mim também –, fez de presente uma linda boneca noivinha, toda de pano e tule, a maior fofura. Quando soube que o filho dela estava para casar, resolvi retribuir todo o amor e atenção que ela teve por mim e fiz um álbum para colocar os melhores momentos desta data tão especial para toda a família dela. Eis aqui o resultado!

Álbum panorâmico casadinho | 22×16 cm | 20 folhas color plus 180g | Capa dura 2 tecidos | costura japonesa

Despedida de solteira

14 mar

Álbum A4 | 25 folhas papel color plus preto | Capa dura 2 tecidos | Courinho para fechar

Se tem uma pessoa que muito me ajudou na época em que eu estava organizando meu casório foi a Camilinha. De uma alegria intensa e inabalável, minha amigona dava sempre um empurrãozinho à noiva mais desencanada da história. Ela, que se casou 1 mês depois do meu, ficava na minha cola, fazendo chamada oral das coisas que eu já tinha que ter organizado, sempre me dando boas dicas e dividindo referências bacanas que achava por aí. Quando chegou a vez dela, resolvemos (todas as amigas e madrinhas) fazer um presente único e especial para que ela pudesse guardar na memória e em papéis o registro da noite de despedida de solteira. Contratamos um fotógrafo exclusivo para clicar os momentos da balada de Camilinha. Ela, que gosta pouco de fazer pose, ficou mais serelepa do que de costume com o seu fotógrafo. E era assim que ela falava: “o meu fotógrafo!”. E assim surgiu este álbum para guardar toda a alegria que um bando de mulheres compartilhou num dia mais do que especial!

Álbum lenda

12 mar

Álbum da Renata fazendo pose

Álbum romântico | 72 folhas de papel canson | Costura longstitch | Aba e courinho para fechar

Este álbum foi uma das primeiras encomendas, da época em que eu ainda fazia o curso de encadernação! Considero ele uma lenda, porque demorei muitoooo para fazê-lo. Na verdade, quem me encomendou esta belezura foi a minha-melhor-amiga-morena-mexicana, que foi até a 25, escolheu e comprou o tecido. Mas, por ser uma das minhas melhores amigas, acabou entrando sempre para o final da fila. Ela mesma falava: “Carô, faça as suas encomendas, e, quando der, faça o meu!”. Só que aí, encomenda após encomenda, o álbum dela virou motivo de piada! Até que ela me deu a feliz/triste notícia de que iria se mudar para o México. Feliz porque foi viver ao lado de seu amor novas experiências, e pelas “n” deliciosas mudanças de vida (aliás, quem quiser conhecer um pouco sobre ela e sobre  mudanças de rumo, acesse http://mudancasderumo.wordpress.com). Triste porque perdi uma companheira quase que diária de fofocas, risadas, tosses, alquimias na cozinha, e minha filhota de consideração, que preenchia a sala da minha casa de felicidade e amor! Mas foi por esse motivo, o da despedida, que não pude mais adiar a tal encomenda. E nos 45 do segundo tempo, cheguei no aeroporto para dar tchau. Detalhe: tinha esquecido o álbum no carro. Corre pra cá, corre pra lá e finalmente entreguei o álbum para sua dona, que num mix de surpresa e tiração de sarro, recebeu com muito carinho esse mimo, que agora, vai guardar lembranças, talvez, desta nova vida de Renata!

Álbum hippie-chique

1 fev

Álbum Hippie | 16 x 32 cm | 20 folhas color plus preto | 20 folhas papel manteiga | Capa dura 2 tecidos | Costura japonesa em fita mimosa

Olha, confesso que não sou nem um pouco fã de cor-de-rosa, aliás, não fui um bebê cor-de-rosa, como minha irmã foi. Usei amarelinho, branquinho, verdinho, e, se bobear, até azulzinho, afinal, terceiro filho não ganha roupas… herda! Mas ok, isso não vem ao caso, minha mama me vestia muito bem. Eu fui um bebê testudo, simpático e com estilo! Mas tem alguns rosas que me tocam! Esse tecido rosa choque com florzinhas num tom mais claro é um deles. Assim que vi na loja me encantou. Mas achei que ele precisava de uma composição alegre e contrastante. Peguei retalhos de um outro tecido que usei até evaporar e criei esse álbum panorâmiquinho hippie-chique. Achei ultra esliloso e perfeito para guardar fotos de momentos felizes de euforia e festas. É ou não é uma feliz combinação?