Não basta ser cão…

6 maio

… tem que entrar no meio da bagunça e participar. A primeira vez que aconteceu isso foi com o meu mais velho, o Max. Não foi muita surpresa, afinal, ele era um lorde e sempre se recusou a deitar no chão. Procurava uma mochila, uma blusa suja jogada no canto, uma caixa de papelão, as vezes tentava até se aconchegar em cima de sapatos. Qualquer objeto no chão, na opinião dele, poderia ser usado de caminha. Mas o que ele gostava mesmo era de um bom e gostoso colinho de mãe. Agora o caçula é bem vira lata. Deita em qualquer lugar. Não quer saber de colo, gosta mesmo é de se deitar no chão esparramado… mas dessa vez foi diferente. Estava eu, cá com minhas baguncitas amadas e eis que ouço um barulhinho vindo da direção da maleta de tecidos. E não é que o tranqueirinha seguiu o cheiro do irmão e fez igual? E dá para brigar com esses bichinhos por eles entrarem onde não devem? Eu não consegui! Eu não consigo! Aliás, já sinto falta do Max dentro da minha maleta!

Olha a cara de quem tá amando o quentindo!!

Max na maleta

Juca na onda do irmão!

Anúncios

Uma resposta to “Não basta ser cão…”

  1. Duxa maio 6, 2011 às 2:49 am #

    Ah, Carol !!!! Que lindo! Adorei! Bjs minha linda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: